Se você já passou dos 30 (ou dos 12 anos de formado) você conhece a referência do título. E não tou aqui pra sofrer. Quero ser feliz.

De alguma forma essa Crise me afetou muito. Queda de pacientes, as contas chegando, aí vem o desespero (pam pam pam) machucando o coração (pam pam pam). Outra referência. Aos mais novos, Google. Mas chegamos em um ponto onde esse é o assunto do momento, todo mundo chorando as pitangas e deixamos as lágrimas tomarem conta de nós. Daí chegamos á escolha: Chorar vai resolver alguns dos nossos problemas? Vai pagar algum dos nossos boletos? Se você escolheu o choro, já está mais que na hora de sair dele.

QUE SAUDADE DO MEU CABELO CURTO!

QUE SAUDADE DO MEU CABELO CURTO!

Minha vida está longe, mas beeeem longe de um mar de rosas. Mas eu resolvi focar no copo meio cheio. Nas oportunidades que estão aparecendo na Odontologia e fora dela. Em todas as bênçãos que recebo todos os dias. Nos meus amigos (aliás, muita falta deles). Na minha família (apesar deles me deixarem falando sozinha). Resolvi voltar a cantar (no coral e o Smule), estou fugindo quase que fisicamente dos meus problemas, deixo a lista do Spotify com as minhas melhores músicas e danço. Mas fia, tu tá louca? Não, pelo contrário, estou recuperando minha sanidade e minha LIBERDADE, afinal de contas somos livres. Só que o consultório, a família, os filhos, os parentes, acabam roubando sua liberdade de você. Pensa comigo: Você de fato é livre?

Escolhi deixar de lado alguns fantasmas que me assombravam há anos. Escolhi viver livre de gente dizendo o que eu tenho que fazer. Escolhi deixar o que me oprimia e agora me sinto mais leve. Literalmente, 30 kg mais leve. Escolhi ser uma pessoa mais leve, mostrar mais meu sorriso que minhas reclamações. Sabem o que eu aprendi? A dizer NÃO. E olha, não dói, não mata, o mundo não deixa de girar e você se sente mais vivo quando toma suas decisões sem querer agradar a todos. Descobri após anos de terapia que isso não é egoísmo, é amor próprio.

Ainda tenho muito o que aprender e viver. Ainda tenho muito mocho pela frente. Mas parafraseando a nossa campanha do CIOSP, agora é hora de SAIR DO MOCHO e viver tudo o que há fora daquelas quatro paredes. Ar puro, sítio, praia, campo, happy hour com os amigos, fazer aulas de cerâmica, atividades físicas, beber água, ver o sol se por com alguém especial… Reatar amizades, tocar numa banda, fazer Krav Magá. Sei lá.

O que eu sei é que a vida é um sopro, é só essa aqui nesse plano, e trabalhar quando a sua vida está preenchida por sentimentos bons faz a produtividade melhor e um dentista feliz. Seus pacientes também, assim como seus funcionários, seus amigos, sua família. Os problemas estão aí, e se vocês querem realmente saber, vamos passar a vida trocando alguns pelos outros. Não deixe a crise ou os prolemas te alienarem. De seriado de zumbi a Netflix tá cheia. E eu prefiro Game of Thrones.

Beijos,

Nana

Compartilhe:

Comentários via Facebook

comentários